Posts Tagged ‘ZDB’

Que vai haver praia, tempo quente e muita doçura até ao Verão na Galeria Zé dos Bois, nós já tínhamos noticiado. Para quem já se esqueceu, nós relembramos: Deradoorian, Cass McCombs, Fabulous Diamonds & US Girls, Rodrigo Amado com Jeb Bishop, Julian Lynch, Ducktails ouBig Trouble são algumas das propostas da ZDB até Junho. Agora, acrescentamos mais umas quantas.

Advertisements

Demoraram a cá chegar, mas chegaram. Foi esta quinta que os Abe Vigoda se estrearam em Lisboa, após um concerto no dia anterior no Porto, após anos de espera e expectativa. Como não o poderia ser, com um disco como Skeleton, uma bomba de energia ríspida e ruidosa que os colocou justamente num pedestal para muito boa gente? Um pedestal que tremeu com Crush, o último disco da banda, com menos guitarra e mais electrónica, com menos ruído e mais limpidez, mais genérico e com menos alma. E, até ao final da noite, o abanar ter-se-ia intensificado, e os Abe Vigoda teriam desiludido. Mas, antes disso, é urgente retroceder no tempo.


Tantas vezes o jazz recebeu o adjectivo de Hot, fora assim quando se passara do rag time e do blues dos campos para algo superior, fora assim quando a América vivera a maior das crises económicas e se ouvia Pops ou se enchia o Savoy, Dizzy e companhia levara a geração beat ao êxtas


A última semana de Abril prometia. Avistavam-se aves raras no horizonte, com pousio certo e marcado para Lisboa. Ben Frost foi como foi: um poderoso soco no estômago, na cabeça e no nosso aparelho auditivo. Quatro dias volvidos, ainda mal refeitos daquela viagem imensa e violenta, chegava a vez de embarcarmos rumo a sabe-se lá bem onde, cortesia de Tim Hecker.


Pode faltar Sol, mas concertos é coisa que não falta a esta primeira semana de Maio. Dead Meadow, Aloe Blacc, Abe Vigoda, Paolo Conte, Ursula Rucker, Youth of Today, Yann Tiersen, Mr. Miyagi e Acromaniacos no Festival Outsider, Editors na Queima de Coimbra… há sugestões para todos os gostos.  Sugestão #1 – Dead Meadow A […]


Noite transfronteiriça, intercontinental, de intersecções, cruzamentos, experiências, esbatimentos, partilha e intimidade. Sim, houve espaço para tudo isto numa ZDB “vestida” a preceito para entrar em transe psíquico e viajar a bordo das criações (que bom que é uma noite de criação e não re-criação!) de Norberto Lobo, Miraj Singh e Marco Franco. Um português, um indiano e um italiano juntos no mesmo espaço que não é uma anedota. Não, aqui a coisa foi séria.


Mais um domingo e, por isso mesmo, mais uma agenda cheia de sugestões de concertos. “Mas… o domingo não é amanhã?” Não. Por isso, estejam atentos que podem ter que utilizar as informações que partilhamos aqui nesse domingo-extra que é o dia 25 de Abril.