Concerto: PAUS & Chris Common @ Lux – Só mesmo mais desta vez

19Feb11

17 de Fevereiro, Lux, Lisboa
Texto por Carlos Miranda / Fotos por Graziela Costa


Foi, de facto, a terceira e última tentativa para os PAUS puxarem pelas ideias e trazerem amigos ao palco do Lux, encerrando a “trilogia” em beleza e com bastante coerência. Conforme anunciado, Chris Common (baterista dos These Arms Are Snakes) foi o convidado de honra para a ocasião, mas houve mais.

O grupo de música tradicional Tocándar, da Marinha Grande, surgiu inesperadamente no seio do público e abriu as hostes, após um considerável compasso de espera. Ao som dos seus tambores, romperam pela plateia até chegarem à frente do palco, onde permaneceram para acompanhar os PAUS nas duas primeiras músicas da noite. Pelo pulso foi o tema inaugural, que prontamente colocou todos os presentes em movimento, logo seguido de um momento que há muito fazia falta em actuações dos PAUS: a apresentação de música nova, que revelou Joaquim Albergaria vocalmente mais participativo e que, à primeira audição, parece romper ligeiramente com a linha do aclamado Ep É uma Água. Resta esperar por mais para perceber se haverá uma mudança realmente significativa e, principalmente, para melhor.

Ao contrário dos convidados dos concertos anteriores, a presença do baterista de These Arms Are Snakes não foi tão notória, simplesmente por transfigurar menos o padrão sonoro e, nesse sentido, não somar assim tanta novidade. Ao invés, a sua capacidade muito acima da média resultou numa simbiose perfeita com os PAUS, criando mais propriamente uma fusão do que um acrescento, conferindo uma terceira dimensão e imensa energia à sua bateria siamesa.

Seguiram-se Mudo e Surdo e Lupiter Deacon, reinventadas para a ocasião, como de resto aconteceu com todos os temas apresentados. Nesse capítulo os PAUS estão de parabéns pela recorrente capacidade de recriação dos seus temas, aperfeiçoando e ajustando cada momento à diferente configuração que os seus convidados proporcionaram. Muitos agradecimentos e anúncio do último tema, Mete as Mãos à Boca, que fechou a actuação curta mas intensa, novamente na companhia dos Tocándar. Tempo ainda para muitas palavras de apreço em relação ao público e aos convidados presentes desta e das outras duas vezes, sublinhando ainda a admiração por partilharem o palco com o baterista de uma banda que há alguns anos atrás era uma referência para a maioria dos PAUS.

Em suma, aos quarto membros fixos da banda juntaram-se desta feita mais elementos de percussão que, em vez de inovação e experimentalismo, trouxeram, e bem, aperfeiçoamento à sonoridade original, reforçando sobejamente a secção rítmica que acaba por ser a vertente mais forte e característica deste projecto. No fundo, vimos uns PAUS mais próximos da sua essência, mas sem quebrar tantas fronteiras como nas duas ocasiões anteriores. Aplaude-se a iniciativa e espera-se que não desvaneca a criatividade nem a vontade, bem patente nas últimas palavras da banda, de juntar amigos em torno da música, tanto no palco como fora dele.


Advertisements


One Response to “Concerto: PAUS & Chris Common @ Lux – Só mesmo mais desta vez”


  1. 1 Grandes bandas, grandes fotos #23 « Ponto Alternativo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: