Concerto: Godspeed You! Black Emperor @ Barcelona

03Feb11

29 de Janeiro, Sala Apolo, Barcelona
Texto por André Forte

Esperança foi a primeira palavra da noite. A última foi justiça.

No dia 29 de Janeiro, fez-se justiça em Barcelona. Os Godspeed You! Black Emperor fizeram jus à sua carreira e proporcionaram duas horas marcantes, de êxtase, de contemplação, de arrepios, de descontrolo e, muito resumidamente, de algo maior do que o homem. A sua abordagem à música é arte num sentido muito puro – não só na forma como a fazem, mas como a partilham, a mostram e a desejam – e não há algo mais humano do que isso. Maior, só a comunhão da arte.     

Maiores foram os GY!BE, que conseguiram não impor as suas três guitarras, dois baixos, duas baterias, violino e projecções (o nono homem da banda estava acima da plateia, a conduzir quatro projectores de fitas durante o concerto), mas sim dá-las de beber a uma Sala Apolo completamente lotada e sedenta da experiência única que é um concerto do grupo de Montreal. Quase sem mácula (houve pequenos acidentes com o som durante o concerto), com muita liberdade e com a capacidade narrativa de grandes contadores, envolveram, revolveram e levaram mais de mil pessoas nos seus crescendos de locomotiva, em ruído, velocidade e intensidade.

De Moya, com as guitarras completamente mergulhadas em reverb de Mike Moya, a Gamelan e ao violino em harmónicos de Sophie Trudeau, à guitarra em camadas de delay de Efrim Menuck e aos baixos mais post-punk de Mauro Pezzente que se fazem ouvir em World Police, em oposição aos do super-versátil Thierry Amar, que até com arco se desembaraça na mítica Sad Mafioso, às melodias de David Bryant em Dead Metheny, à percussão intensa de Aidan Girt e de Bruce Cawdron nos crescendos do concerto e ao constante jogo de projecções de Karl Lemieux. Do princípio ao fim do concerto, cada um com a sua marca, cada membro da banda se fez ouvir numa perfeição estonteante e com uma precisão assustadora, assumindo a sua vez, tomando conta da música e da audiência nos momentos certos.

Através de um jogo de projecções de dois vídeos, orientados acima do público em perfeita harmonia com a música, a mensagem dos canadianos, que é metade da sua abordagem à música e é a mesma que, por tão indirecta, os levou ao hiato, adquire um sentido muito próprio na capital da Catalunha, conhecida pela sua história de resistência à autoridade – nomeadamente, pela frente contra o regime de Franco que representou desde o início e pelos imensos episódios de luta que encerram as artérias que correm pela cidade a partir das Ramblas. O que os Godspeed sempre nos disseram, no complexo aparato em que se rodeavam foi resumido na voz do seu guitarrista Efrim Menuck enquanto vocalista dos Silver Mt. Zion, na música Triumph of Our Tired Hearts: “So come on, friends, to the barricades again.” Esta canção é, no seu todo, uma referência a uma das músicas mais cantadas nas ruas de Barcelona aquando da Guerra Civil de Espanha, A Las Barricadas.

Na verdade, só quem viu o concerto consegue perceber quão difícil é colocá-lo em palavras, um concerto que nos ataca os sentidos e nos deixa apenas o olfacto para comprovar que continuamos vivos, que haverá mais música depois de Godspeed You! Black Emperor, depois das suas melodias cruzadas, desencontradas e num jogo de notas perfeito, depois dos seus andamentos acelerantes e do sua capacidade de se desprender da música que fazem e a dar a quem a ouve. Se ouvir Godspeed no dia-a-dia pode ser desconcertante, numa actuação dos canadianos a experiência ganha uma dimensão especial.

A primeira palavra a ver-se na parede acima dos Godspeed You! Black Emperor foi esperança. Muito se esperou por este regresso e com muita esperança regressam eles. A última foi justiça, entre imagens de manifestações, lutas, exigências… Esse é o desejo que marca todos os contornos deste regresso. Diria que testemunho passou para o nosso lado.

Alinhamento:
Moya
Albanian
Storm
Gamelan
World Police
Dead Metheny
The Sad Mafioso

Advertisements


5 Responses to “Concerto: Godspeed You! Black Emperor @ Barcelona”

  1. 1 Leo

    Foi incrivel! \o/


  1. 1 Para ver: ‘Awake on Foreign Shores + Judges’ (e não só) de Colin Stetson « Ponto Alternativo
  2. 2 Novo álbum de Bon Iver em Junho « Ponto Alternativo
  3. 3 Dos GY!BE e Silver Mt. Zion: Menuck lança-se a solo e Esmerine têm novo álbum « Ponto Alternativo
  4. 4 Há Festas Que Não Devem Ser Deixadas para Amanhã: o ATP de Londres « Ponto Alternativo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: